24 março, 2011

Radioterapia (Novembro e Dezembro)



Encontradas as metástases cerebrais decidiu-se pela radioterapia paliativa com o intuito de melhorar os sintomas que minha mãe vinha sentido. Após irmos a duas clínicas, e após algumas brigas como Convênio optamos pelo Cepro, que fica na região da Bela Vista.
Marcamos uma consulta com o radiologista que indicou uma dose baixa de radioterapia, na cervical, lombar e crânio, durante 25 sessões.
Nesta mesma consulta foi feita uma máscara para minha mãe (uma espécie de capacete para fixar bem a cabeça).
A radioterapia foi feita enquanto minha mãe estava internada, e infelizmente o hospital não dispunha do equipamento, por isso, íamos todos os dias de ambulância do hospital para o Cepro, e então retornávamos. As sessões eram rápidas mas a ida e vinda eram muito cansativas, fora que a cada 5 sessões tínhamos que obter autorização do convênio - É triste que nos momentos em que mais precisamos temos que discutir com convênios médicos.
Aos poucos os efeitos colaterais da radioterapia foram aparecendo, entre eles destaco:
1- Queimaduras: Minha mãe tem a pela muito sensível, o que lhe rendeu algumas queimaduras. Na região na testa ela parecia bronzeada, mas com uma cor muito escura; no colo, a pela ficou tão sensível que ficou em carne viva, assim como na nuca, local onde se formou uma gde ferida; e nas costas dava pra ver a marca de onde passou a radiação. A pior delas, no entanto, foi na garganta e esôfago. O incômodo e dores eram tamanhos que minha mãe não conseguiu mais comer, foi introduzida uma sonda nasal.
(Vale a pena conservar com os médicos antes de fazer a radioterapia pois existem cremes oncológicos que previnem ou amenizam as queimaduras)
(Vale ressaltar que queimaduras tão profundas não são comuns, todos os médicos, sem exceção, afirmaram que minha mãe tem a pela muito sensível)
2- Fraqueza: Durante a radioterapia minha mãe ficou muito fraca, não conseguia mais levantar da cama, ficou bem mal, precisando inclusive de algumas transfusões de sangue.
3- Ressecamento: Junto com os problemas de queimadura na garganta, a radioterapia geralmente deixa a pessoa toda ressecada, em todas as mucosas, o que aumentava mais ainda as dores e desconforto. Muitos pacientes se queixavam disso.
4- Queda de cabelo: a queda de cabelo não é regra na radioterapia, no caso de minha mãe o cabelo caiu por um determinado período, mas depois parou.
Embora todos estes problemas apontados, as dores insuportáveis desapareceram por completo, e apesar de tudo, a radioterapia foi fundamental para o bem estar de minha mãe. Se bem que, ela sofreu muito com a radioterapia, mas o sofrimento causado pelas dores causadas pela inflamação nos nervos era infinitamente maior.
Ao final, como minha mãe estava muito fraca a radioterapia foi interrompida na 20a sessão. Mas os efeitos da radioterapia continuam por um determinado tempo.
Após a radioterapia, minha mãe teve alta para o natal e para o ano novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário